Em comemoração ao dia 21 de maio, Dia da Língua Nacional, listamos 4 curiosidades de ‘cair o queixo’ sobre o nosso querido português made in brazil.

***

Peneumo… o que?

A maior palavra do pt-br é Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiotico.

A palavra se refere as pessoas que sofrem de Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiose, uma doença respiratória causada pela aspiração de cinzas vulcânicas. Ao todo são 46 letras.

foto: Canva

***

Está falando Grego?!

Sabe quando a alguém está dizendo algo e você não está entendendo nada?!

É comum usarmos a expressão “falando grego”, o mais curioso é que na Grécia eles perguntam se você está “falando chinês? ”

Foto:
escritura Μιλάτε κινέζικα; = está falando chinês?

***

Das Arábias…

Muitas palavras que usamos na língua portuguesa tem origem estrangeira, okay?! Listamos 5 palavras que são de origem Árabe e que talvez você não saiba.

– Açúcar: Nosso querido e doce açúcar vem da palavra as-sukar que deriva do termo sânscrito sakkar para grão de areia.

– Papagaio: Eu sei, parece uma palavra totalmente brasileira! Mas papagaio deriva de babaga que significa pássaro em árabe.

– Xaveco: Eu sei o que você está pensando, mas não tem nada a ver com o crush! Antes de qualquer coisa você deve saber que originalmente a palavra se refere a um tipo de barco de pesca com rede – o xabbaq, que era utilizado por piratas no mediterrâneo e que eram mal conservados, o que transformou em sinônimo de má qualidade. Com o passar do tempo a língua deu origem ao significado que conhecemos hoje, cantada mal feita ou conversa fiada, uma coisa que não dá para confiar.

– Fulano: Mas afinal, quem é o tal fulano?! O termo fulân que em árabe significa algo parecido com “tal coisa, aquele ”. Na Espanha era usado da mesma forma por volta do século XIII, exemplo: Fulano hombre = Tal homem No português, a palavra tomou viés de substantivo para se referir a uma pessoa qualquer.

***

Biscoito ou Bolacha?

No Rio de Janeiro, biscoito. Em São Paulo, bolacha. Embora as duas formas estejam corretas e tenham a mesma equivalência, não podemos negar que sempre bate aquela dúvida de quem está certo. Bom, a única coisa que podemos dizer é que o biscoito leva vantagem por ter chegado primeiro na língua portuguesa.

Fonte:

Revista da Babbel

Gama!